Alzheimer: entenda tudo sobre a doença em 11 dúvidas respondidas

alzheimer

A doença de Alzheimer é caracterizada por uma demência neurodegenerativa.

Ela afeta a memória, as habilidades de pensamento e a capacidade de realizar as tarefas cotidianas. 

A doença acomete, principalmente, pessoas com mais de 60 anos, mas também pode ocorrer em pessoas mais jovens.

A causa é desconhecida, mas acredita-se que ela é determinada por fatores genéticos.

No Brasil, mais de 1 milhão de pessoas vivem com alguma forma de demência, de acordo com a Alzheimer’s Association, instituição voluntária dedicada ao cuidado, suporte e pesquisas envolvendo a doença. 

Em todo o mundo, ao menos 44 milhões de pessoas vivem com demência, o que torna a doença uma crise global de saúde a ser resolvida.

Neste artigo, você vai saber o que é a doença de Alzheimer, quais as causas, como tratar e prevenir a doença e se o plano de saúde cobre o tratamento.

O que é a doença de Alzheimer?

O Alzheimer é um distúrbio cerebral irreversível e progressivo que causa perda de memória, da linguagem, da razão e da habilidade de cuidar de si próprio.

É um processo diferente do envelhecimento cerebral, pois ocorrem alterações patológicas no tecido cerebral como deposição de proteínas anormais e morte celular.

Nos estágios iniciais, os sintomas de demência podem ser mínimos, mas pioram conforme a doença causa mais danos ao cérebro. 

Ela está entre os 60 tipos de demência existentes, sendo considerada a mais comum. 

Como é que se inicia o Alzheimer?

A doença se inicia quando ocorrem problemas no processamento de proteínas do sistema nervoso central.

Surgem, então, fragmentos de proteínas mal cortadas, tóxicas, dentro dos neurônios e nos espaços que existem entre eles.

Como consequência dessa toxicidade, ocorre perda progressiva de neurônios em certas regiões do cérebro, como o hipocampo, que controla a memória e o córtex cerebral.

Qual o tempo de vida de uma pessoa com Alzheimer?

O progresso da doença é variável conforme cada paciente.

Contudo, pessoas portadoras de Alzheimer vivem em média até oito anos após o início dos sintomas.

Quais as causas do Alzheimer? 

Ainda não está bem estabelecida uma causa específica para o aparecimento da doença de Alzheimer.

O que se sabe é que existem inúmeros fatores de risco que podem contribuir para o seu aparecimento.

De forma geral, os fatores de risco para as doenças do coração (diabetes, hipertensão arterial e dislipidemia) são os mesmos que para a doença de Alzheimer. 

Além desses, a depressão, traumatismo craniano, isolamento social e sedentarismo também podem contribuir para o surgimento da doença.

O risco de desenvolver Alzheimer é maior em indivíduos que têm parentes de primeiro grau acometidos pela doença.

Como é feito o diagnóstico de Alzheimer? 

O diagnóstico da doença de Alzheimer é clínico, ou seja, é realizado através de uma consulta médica, em geral, com neurologista.

Na consulta, o médico faz uma anamnese com o paciente e também com seus familiares para conhecer todos os sintomas apresentados. 

Por meio de exame físico e aplicação de testes específicos de avaliação das funções cerebrais, o médico realiza o diagnóstico.

Após a consulta, normalmente são realizados exames de sangue e imagem, que podem ser desde uma tomografia ou ressonância magnética de crânio, até exames mais específicos. 

Atualmente já existem exames específicos que podem auxiliar no diagnóstico confirmatório da doença.

Alzheimer tem cura?

Até o momento, não foi descoberta a cura para a doença. 

O objetivo do tratamento é retardar a evolução e preservar por mais tempo possível as funções intelectuais.

Os melhores resultados são obtidos quando o tratamento começa no estágio inicial da doença.

O que caracteriza o Alzheimer? 

A doença de Alzheimer costuma evoluir de forma lenta.

O cérebro de um paciente com doença de Alzheimer sofre um processo degenerativo, progressivo e irreversível.

Durante a evolução da doença ocorre a morte de neurônios localizados em regiões específicas do cérebro, responsáveis pela memória e outras funções cognitivas.

Em geral, o quadro clínico costuma ser dividido em quatro estágios:

  1. Quadro inicial: alterações na memória, na personalidade e nas habilidades visuais e espaciais;
  2. Quadro moderado: dificuldade para falar, realizar tarefas simples e coordenar movimentos, agitação e insônia;
  3. Quadro grave: resistência à execução de tarefas diárias, incontinência urinária e fecal, dificuldade para comer e deficiência motora progressiva;
  4. Quadro terminal: restrição ao leito, mutismo, dor ao engolir e infecções intercorrentes.

7 sintomas da doença de Alzheimer

  1. Falta de memória para acontecimentos recentes;
  2. Repetição da mesma pergunta várias vezes;
  3. Dificuldade para acompanhar conversações ou pensamentos complexos;
  4. Incapacidade de elaborar estratégias para resolver problemas;
  5. Dificuldade para dirigir automóvel e encontrar caminhos conhecidos;
  6. Dificuldade para encontrar palavras que expressem ideias ou sentimentos pessoais;
  7. Irritabilidade, desconfiança injustificada, agressividade, passividade, interpretações erradas de estímulos visuais ou auditivos, tendência ao isolamento.

Como tratar Alzheimer?

O tratamento da doença de Alzheimer envolve o uso de medicamentos, terapia e consultas de rotina ao neurologista. 

O tratamento não medicamentoso envolve o de treino de memória e reabilitação cognitiva, além da manutenção de hábitos de vida saudáveis, como atividade física e alimentação balanceada.

Como prevenir a doença de Alzheimer?

Os hábitos que previnem as doenças do coração também previnem as doenças do cérebro e memória.

Desta forma, praticar atividade física, ter uma alimentação saudável e não fumar influenciam para uma vida longa e livre de doenças. 

Fazer o controle de doenças crônicas, como pressão alta, diabetes e colesterol, também contribuem para a prevenção. 

Evitar o isolamento social, tratar quadros depressivos e realizar atividades que mantêm o cérebro ativo, como ler, escrever, estudar, aprender novas línguas, praticar atividades manuais como pintura e jardinagem, e jogar jogos ajudam a prevenir o surgimento da doença.

Plano de saúde cobre Alzheimer? 

Sim, a doença de Alzheimer faz parte do Rol de Eventos e Procedimentos ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) e, portanto, todo o seu tratamento tem cobertura obrigatória pelos planos de saúde.

A ANS é o órgão que regula o setor de saúde no Brasil e estabelece as regras que devem ser seguidas pelas operadoras de convênios médicos.

Agora que você já sabe o que é Alzheimer e como tratar e prevenir a doença veja Plano de saúde idoso: 10 passos para saber quando investir.

 

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Inscreva-se na nossa Newsletter