Ansiedade: guia completo sobre a doença

priscilla-du-preez-ksMmG5vk9pE-unsplash

A ansiedade é uma das questões de saúde mental que mais prejudica a qualidade de vida das pessoas atualmente. 

Entretanto, nem sempre é fácil identificar se o que se sente é ansiedade, ou um sintoma de uma doença ou quadro clínico mais crítico.

Muitas pessoas, em meio a uma crise de ansiedade, pensam que estão tendo um ataque cardíaco ou até mesmo um AVC (acidente vascular cerebral), pela intensidade dos sintomas e sensações.

Mas, em geral, quando a pessoa é acometida por uma sensação extrema de medo, ele passa em alguns minutos, assim que o indivíduo respira mais profundamente e se acalma.

Por outro lado, uma preocupação constante e excessiva com algum aspecto da vida e que gere uma ansiedade extrema pode levar a sintomas físicos e até mesmo a doenças com o passar do tempo.  

Nesse artigo nós vamos falar sobre o que é ansiedade, quais são os sintomas, possíveis causas e como tratar.

O que é ansiedade?

A ansiedade é uma resposta do corpo diante de situações que podem provocar medo, dúvida ou expectativa.

É considerada normal a ansiedade que antecede uma entrevista de emprego, prova, apresentação em público, nascimento de um filho, viagem de férias, cirurgia delicada, ou um revés econômico, por exemplo. 

Nesses casos, a ansiedade funciona como um sinal que prepara a pessoa para enfrentar o desafio e, mesmo que ele não seja superado, favorece sua adaptação às novas condições de vida.

Entretanto, ela pode virar um distúrbio quando passa a atrapalhar nosso dia a dia.

25 sintomas da ansiedade

A ansiedade pode apresentar um ou mais sintomas, a depender do desafio a ser enfrentado e de como cada pessoa lida com as situações que lhe acontecem. São eles:

  1. Respiração ofegante e falta de ar
  2. Sudorese excessiva
  3. Taquicardia
  4. Aumento da pressão arterial
  5. Palpitações e dores no peito
  6. Distúrbios relacionados ao trato gastrointestinal
  7. Fala acelerada
  8. Sensação de tremor e vontade de roer as unhas
  9. Agitação de pernas e braços
  10. Tensão muscular
  11. Tontura e sensação de desmaio
  12. Enjoo e vômitos
  13. Irritabilidade
  14. Enxaquecas
  15. Boca seca e hipersensibilidade de paladar
  16. Distúrbios do sono, como insônia
  17. Preocupação excessiva
  18. Dificuldade de concentração
  19. Nervosismo
  20. Medo constante
  21. Sensação de que vai perder o controle ou que algo ruim vai acontecer
  22. Pensamentos desconexos
  23. Braço dormente
  24. Suor frio
  25. Sentir-se desconectado de seus ambientes (desrealização)

O que causa ansiedade?

A ansiedade é a reação que o corpo apresenta diante de eventos futuros que causam preocupação excessiva.

Existem alguns fatores de risco que podem fazer com que a ansiedade constante se torne um transtorno. São eles:

  • Genes específicos ligados à ansiedade (se um parente de primeiro grau sofre do problema a possibilidade de outra pessoa do grupo familiar também desenvolvê-lo é bem maior)
  • Fatores ambientais (trabalho muito estressante, rotina de vida agitada, privação do sono ou de alimentos)
  • Tipo de personalidade (algumas pessoas tem uma base ansiosa, ou seja, sua própria personalidade as coloca em risco de desenvolver um transtorno)
  • Sexo e gênero (mulheres tem duas vezes mais chances de desenvolver um transtorno de ansiedade)
  • Trauma (um evento de alto impacto emocional como, por exemplo, abusos são fatores de risco para transtornos de ansiedade)

Quais são os tipos de ansiedade existentes?

Transtorno de ansiedade generalizada

O transtorno da ansiedade generalizada (TAG) é um distúrbio caracterizado pela preocupação excessiva ou expectativa apreensiva, persistente e de difícil controle.

Ele pode durar meses, ou até anos, e vem acompanhado dos seguintes sintomas: inquietação, fadiga, irritabilidade, dificuldade de concentração, tensão muscular e perturbação do sono.

Transtorno do pânico

O indivíduo com  transtorno do pânico tem uma sensação forte de que está prestes a morrer e perdendo o controle. Ela pode durar alguns minutos, ou persistir por mais tempo.

Além disso, os sintomas podem ser confundidos com um ataque cardíaco, o que leva muitas pessoas a recorrerem às emergências dos hospitais quando são acometidas por uma crise de pânico.

Fobia social

A fobia social, ou ansiedade social, é um dos tipos mais comuns e acontece sempre quando se está em público. 

Ela pode ser associada a outros tipos de fobia, como a claustrofobia (medo de locais fechados), ou agorafobia (medo de ficar sozinho em locais públicos).

Transtorno obsessivo-compulsivo

O Transtorno obsessivo-compulsivo ou TOC é um distúrbio psiquiátrico

Trata-se de um medo de perder o controle ou ser responsável por algo terrível para si ou para os outros, que normalmente vem associado a um sentimento de culpa.

Além disso, é caracterizado por movimentos repetitivos e comportamentos compulsivos.

Transtorno de estresse pós-traumático

O Transtorno de estresse pós-traumático ou TEPT é causado por um trauma ou evento terrível.

A pessoa passa por momentos de confusão e medo, recordando os mesmos sentimentos que sentiu durante o ocorrido.

O que é crise de ansiedade?

Crise ou ataque de ansiedade é uma exacerbação dos sintomas que se manifestam por meio de alguns sinais e sintomas típicos, como palpitação no peito, respiração ofegante, sensação de tontura, desmaio, enjôo ou vontade de vomitar.

Os sintomas, em geral, são acompanhados de um medo extremo de vivenciar alguma experiência horrível, como a morte sua ou de alguém por quem se tem muito apreço.

Como tratar a ansiedade?

Existem hábitos e rotinas que podem auxiliá-lo a reduzir e eliminar o quadro de ansiedade. 

Além disso, sempre que você tiver dificuldade em administrar os sintomas por conta própria é recomendado que busque ajuda profissional. 

Dependendo da condição clínica do paciente e do nível de ansiedade, o profissional pode recomendar psicoterapia ou uso de medicamentos. 

O diagnóstico leva em conta a história de vida do paciente, a avaliação clínica criteriosa e, quando necessário, a realização de alguns exames complementares.

22 hábitos para prevenir e reduzir a ansiedade

  1. Ter uma alimentação saudável (existe uma relação direta entre boa saúde física e mental);
  2. Praticar atividades físicas;
  3. Beber, pelo menos, dois litros de água por dia para se manter hidratado;
  4. Realizar atividades que lhe proporcionem prazer e satisfação, como ir ao cinema ou ler um livro;
  5. Desenvolver hobbies saudáveis, como exercício físico, leitura ou tocar um instrumento musical;
  6. Ter uma boa qualidade de sono, proporcionada por um ambiente calmo, silencioso e escuro;
  7. Acordar cedo para ter tempo de executar todas as atividades da sua rotina;
  8. Cuidar do seu ambiente, seja em casa ou no trabalho;
  9. Praticar meditação e atenção plena;
  10. Evitar preocupações desnecessárias;
  11. Eliminar pensamentos negativos e autosabotadores;
  12. Fortalecer sua autoimagem e autoestima, cuidando do seu corpo e mente;
  13. Evitar reclamar da vida, mesmo diante das adversidades;
  14. Fomentar bons pensamentos;
  15. Ser educado e gentil com as pessoas para atrair a mesma atitude do mundo como resposta;
  16. Sorrir bastante;
  17. Tomar banho de sol, frequentar a praia ou nadar;
  18. Viajar;
  19. Ser organizado e planejar sua rotina;
  20. Ter objetivos de vida que lhe proporcionem felicidade, paz e bem-estar;
  21. Manter o convívio social;
  22. Fazer psicoterapia.

A ansiedade é um dos problemas que mais acometem a sociedade nos dias de hoje. Para evitá-la, veja também esse conteúdo que preparamos para você. Como cuidar da saúde mental: aprenda 6 dicas, como ela funciona, qual a cobertura do plano de saúde e explicações científicas.

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Inscreva-se na nossa Newsletter