Cirurgia Ortognática: tudo sobre o quadro e a cobertura do plano de saúde

cirurgia ortognática

A cirurgia ortognática é uma técnica utilizada para corrigir alterações de crescimento dos maxilares.

Essas anomalias dentofaciais podem originar distúrbios da mordida, articulações e respiração, e também repercutir na estética facial. 

Trata-se, portanto, de um procedimento estético-funcional com a finalidade de restaurar a harmonia facial e a função mastigatória.

Esta técnica é indicada para vários tipos de anomalias ósseas, desde crescimentos deficientes a exagerados.

Neste artigo, você vai encontrar informações sobre cirurgia ortognática o que é, cirurgia ortognática valor e como é feita a cirurgia ortognática.

Também vamos falar sobre cirurgia ortognática plano de saúde, pós-operatório e recuperação.

O que é cirurgia ortognática?

A cirurgia ortognática é um procedimento realizado para corrigir e reposicionar os ossos da mandíbula.

A maxila é o osso responsável por suportar os dentes superiores e a mandíbula, os inferiores. 

No entanto, por diversas causas, principalmente genéticas, algumas pessoas desenvolvem as estruturas com maior discrepância entre elas.

Nesse sentido, a cirurgia ortognática corrige o posicionamento dentário de pacientes que apresentam diferentes graus de assimetria na região.

Quando é indicada a cirurgia ortognática?

Geralmente, os fatores que desencadeiam anomalias do crescimento ósseo na face têm causas genéticas, e quando são acentuadas, acabam causando a desarmonia na estrutura do maxilar.

Na criança, normalmente tenta-se corrigir o problema com o uso de aparelhos ortodônticos e ortopédicos que atuem também no crescimento ósseo. 

Entretanto, em alguns casos mais graves pode ser indicada a cirurgia antes do final do crescimento ósseo. 

Como se trata de um problema originado nos ossos, quando a correção não acontece totalmente com aparelhos ortodônticos, é indicada a realização da cirurgia ortognática.

Como é feita a cirurgia ortognática?

Por se tratar de uma solução definitiva para solucionar a assimetria óssea, a cirurgia ortognática requer um planejamento prévio cuidadoso por parte do dentista, do ortodontista e do paciente. 

É comum que o uso de aparelho ortodôntico anteceda o procedimento, pois o dispositivo auxilia no posicionamento estratégico dos dentes antes da realização do reposicionamento dos ossos da parte inferior da face.

Todo esse planejamento é feito antes da cirurgia, de forma digital, com auxílio de exames de imagens.

Desta forma, é possível simular como será o antes e depois da cirurgia.

O procedimento consiste em realinhar as estruturas da mandíbula e/ou da maxila, com serras, parafusos e placas de titânio em um centro cirúrgico.

O paciente fica, em média, uma noite no hospital e sai de lá com uma dieta envolvendo ingestão de líquidos ou alimentos pastosos.

Com as técnicas menos invasivas aplicadas atualmente, o pós-operatório tende a ser mais tranquilo.

Todos os pontos ficam localizados internamente e não há nenhuma cicatriz externa. 

O que é cirurgia ortognática classe 2 e classe 3?

De acordo com a posição do maxilar e dos dentes, o cirurgião pode recomendar a realização de dois tipos de cirurgia:

Cirurgia ortognática classe 2, que é realizada nos casos em que o maxilar de cima fica muito à frente dos dentes de baixo;

Cirurgia ortognática classe 3, que é utilizada para corrigir casos em que os dentes de baixo ficam muito à frente dos do maxilar de cima.

7 vantagens da cirurgia ortognática

  1. Ganho de qualidade de vida e bem-estar para o paciente;
  2. Melhora da autoestima por uma melhor harmonização da face;
  3. Ausência de cicatrizes, pois a intervenção é realizada na parte interior da boca;
  4. Menor dificuldade na mastigação;
  5. Facilidade em respirar;
  6. Melhoramento da articulação da fala;
  7. Ajuste da mordida e oclusão dental.

O plano de saúde cobre cirurgia ortognática?

Sim, A cirurgia ortognática é considerada pela ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) como um procedimento cuja finalidade é corrigir um problema de saúde. 

Desta forma, a cirurgia faz parte do rol de procedimentos ANS e deve ser coberta pelo plano de saúde.

Entretanto, é importante verificar se o seu plano possui segmentação hospitalar para que você tenha direito à internação.

Quanto custa uma cirurgia ortognática?

A cirurgia ortognática quando feita de forma particular pode custa de R$ 12 a R$ 30 mil reais.

Os valores dependem do profissional contratado, equipe médica e hospital de realização do procedimento. 

É possível realizar a cirurgia ortognática pelo SUS?

A cirurgia ortognática também pode ser realizada pelo SUS (Sistema Único de Saúde), mas o tempo de espera pode ser um pouco mais demorado do que pelo plano de saúde

Contudo,  o acompanhamento ortodôntico fica por conta do paciente. 

Em caso de necessidade, ele deve procurar um CEO (Centro de Especialidade Odontológica) mais próximo para avaliação. 

Quais os riscos da cirurgia ortognática?

Como em toda cirurgia, existe risco de infecção pós-operatório, além de sangramentos. 

Ainda em ambiente hospitalar, o paciente já inicia a medicação com antibióticos, que pode durar até duas semanas.

Uma das possíveis sequelas é a dormência em parte do rosto que pode acontecer em alguns casos. Ela pode passar com o tempo ou permanecer durante o resto da vida.

Entretanto, ela é diferente da paralisia. O paciente fica com uma perda parcial da sensibilidade em algumas áreas do rosto. 

A dormência pode ser corrigida com tratamento fonoaudiológico, medicação ou fisioterapia. O cirurgião poderá indicar a melhor opção para cada paciente.

Como é o pós-operatório e a recuperação da cirurgia ortognática?

A cirurgia ortognática requer alguns cuidados especiais durante o período pós-operatório. 

Além de medicação específica, a recuperação total do paciente também envolve repouso, cuidados com a alimentação e fisioterapia.

Isso dura 30 dias, mais ou menos, e pode se estender por mais tempo se preciso. 

Em alguns casos, também pode ser necessário que o paciente finalize o processo com a ajuda de tratamentos ortodônticos e outros procedimentos como implantes dentários e tratamentos estéticos.

O resultado final é obtido após seis meses, sendo importante o acompanhamento do cirurgião-dentista em todas as fases do processo. 

Agora que você já sabe como proceder para realizar a cirurgia ortognática é importante que você pense no melhor plano de saúde para a realização do procedimento. 

Por isso,  preparamos esse conteúdo para você. Plano de saúde vale a pena: 8 razões para contratar! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Inscreva-se na nossa Newsletter