Depressão: o que é, causas e tratamento

depressão

Depressão é uma doença psiquiátrica que produz alteração do humor e é caracterizada por tristeza profunda e forte sentimento de desesperança. 

Ela é comumente associada a sentimentos de dor, amargura, desencanto, baixa autoestima e culpa, assim como a distúrbios do sono e do apetite.

Por afetar bastante a vida do paciente é fundamental identificar os sintomas e procurar ajuda médica.

Em todo o mundo, estima-se que mais de 300 milhões de pessoas sofram com esse transtorno, de acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde). 

Neste artigo nós vamos apresentar a você o que é depressão, quais as causas, sintomas, como tratar e se o plano de saúde cobre o tratamento. 

O que é depressão?

A depressão é caracterizada pela perda ou diminuição de interesse e prazer pela vida, gerando angústia e prostração, algumas vezes sem um motivo aparente. 

Ela é um transtorno comum, mas sério, que interfere na rotina da pessoa, na sua capacidade de trabalhar, dormir, estudar, se alimentar, se relacionar com outras pessoas e aproveitar a vida.

A depressão faz parte dos transtornos de humor e afeta toda a vida de quem a possui. 

Empregos podem ser perdidos, relacionamentos prejudicados e pode haver também o surgimento de problemas físicos.

Quais as causas da depressão?

Em geral, a depressão é causada por uma combinação de fatores genéticos, biológicos, ambientais e psicológicos.

Acontecimentos traumáticos na infância, estresse físico e psicológico, algumas doenças sistêmicas, como hipotireoidismo, podem desencadear a doença.

Consumo de drogas e alguns tipos de medicamentos, como anfetaminas, também contribuem para o surgimento do quadro depressivo. 

Conheça 8 fatores de risco para desenvolver depressão

  1. Histórico familiar
  2. Transtornos psiquiátricos correlatos
  3. Estresse crônico
  4. Ansiedade crônica
  5. Disfunções hormonais
  6. Excesso de peso
  7. Sedentarismo e dieta desregrada
  8. Vícios (cigarro, álcool, etc)

Como reconhecer a depressão?

Nem sempre é fácil reconhecer a doença, pois como ela pode apresentar sintomas variados, muitas vezes o paciente e as pessoas próximas a ele não conseguem identificá-la.

É importante distinguir a tristeza patológica daquela transitória provocada por acontecimentos difíceis e desagradáveis, mas que são inerentes à vida de todas as pessoas.

Como exemplos podemos citar: a morte de um ente querido, a perda de emprego, os desencontros amorosos, os desentendimentos familiares e as dificuldades econômicas.

Diante das adversidades, as pessoas sem a doença sofrem, mas encontram uma forma de superá-las.

O paciente com depressão tem mais dificuldade em sair do quadro e, muitas vezes, necessita de apoio de terapia e medicamentos. 

24 sintomas da depressão

A doença é caracterizada por uma série de sintomas que podem vir associados ou não. São eles:  

  1. Humor deprimido na maior parte do dia;
  2. Perda de interesse em atividades;
  3. Dificuldade para trabalhar e executar as atividades rotineiras;
  4. Alterações no apetite;
  5. Perda ou ganho de peso;
  6. Insônia;
  7. Baixa autoestima;
  8. Falta de concentração;
  9. Nervosismo;
  10. Cansaço constante;
  11. Falta de energia;
  12. Estados de extrema passividade, de ansiedade ou de ambos;
  13. Falta de motivação; 
  14. Isolamento social;
  15. Alterações nas relações sociais;
  16. irritabilidade;
  17. Sentimentos de desesperança;
  18. Alterações hormonais;
  19. Alteração da libido;
  20. Alterações no ciclo menstrual;
  21. Queda de cabelo;
  22. Unhas enfraquecidas;
  23. Baixa imunidade;
  24. Pensamentos suicidas.

6 tipos de depressão

Depressão maior

A depressão maior é o tipo mais grave de depressão.

Ela é caracterizada pelo surgimento de um ou vários acontecimentos que geralmente tiveram início na adolescência ou na idade adulta.

A pessoa que sofre deste tipo de depressão, pode experimentar fases de humor normal intercalada com fases depressivas que podem durar semanas, meses ou anos. 

Distimia

Entre os tipos de depressão, a distimia é menos grave que a depressão maior.

É um tipo de depressão chamada de unipolar e afeta o funcionamento normal e o bem-estar da pessoa.

Sua característica principal é que a pessoa não necessariamente experimenta uma forte tristeza, mas com frequência há um sentimento de falta de propósito e motivação.

Depressão ansiosa

Sua principal característica é que ela mistura e altera estados de depressão com estados de ansiedade.

Depressão psicótica

A depressão psicótica se caracteriza pela presença de sintomas psicóticos, como alucinações, delírios, estados de violência e pensamentos negativos. 

Depressão pós-parto

A depressão pós-parto acomete as mulheres após o trabalho de parto.

Este tipo de depressão pode acontecer até um ano depois do parto, embora seja comum nos primeiros três meses.

Ela se caracteriza por alterações hormonais, alteração nas relações sociais, alteração do ciclo de vigília e sono, preocupações e cobranças relacionadas à capacidade de ser boa mãe, e rejeição do bebê.

Como tratar a depressão?

Depressão é uma doença que exige acompanhamento médico constante.

Quadros leves costumam responder bem ao tratamento psicoterápico.

Nos casos mais graves e com reflexo negativo sobre a vida afetiva, familiar e profissional e em sociedade, a indicação é o uso de antidepressivos com o objetivo de tirar a pessoa da crise.

As medicações costumam levar de duas a quatro semanas para produzir efeito e, muitas vezes, devem ser mantidas por um longo período, até que a doença seja sanada. 

Há casos de depressão que exigem a associação de outras classes de medicamentos, como ansiolíticos e antipsicóticos.

Plano de saúde cobre depressão?

Sim, a depressão faz parte do Rol de Eventos e Procedimentos ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) e, portanto, todo o seu tratamento tem cobertura obrigatória pelos planos de saúde.

A ANS é o órgão que regula o setor de saúde no Brasil e estabelece as regras que devem ser seguidas pelas operadoras de convênios médicos.

Agora que você já sabe o que é depressão, quais as causas e como tratá-la veja também Como cuidar da saúde mental: aprenda 6 dicas, como ela funciona, qual a cobertura do plano de saúde e explicações científicas.

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Inscreva-se na nossa Newsletter