Doenças autoimunes: o que são, como funcionam, diagnóstico e tratamento

ah-np-GsO5M1Nr_c4-unsplash

As doenças autoimunes são causadas por um mau funcionamento do sistema imunológico que cria uma defesa, por meio da produção de anticorpos, contra componentes do próprio organismo. 

Por razões nem sempre esclarecidas, o corpo passa a confundir suas próprias substâncias com agentes invasores, passando a atacá-las.

As doenças autoimunes geralmente são crônicas, não transmissíveis e podem ser controladas com tratamento.

Os sintomas variam de acordo com a doença e a parte do corpo afetada.

Existem mais de 80 doenças autoimunes. Entre as mais conhecidas estão diabetes tipo 1, esclerose múltipla, artrite reumatoide e o lúpus, uma das mais graves.  Elas são mais comuns em mulheres do que em homens.

Neste artigo, nós vamos apresentar as principais doenças autoimunes existentes, quais são as causas das doenças autoimunes e como tratá-las.

O que é doença autoimune?

Uma doença autoimune ocorre por causa do mau funcionamento do sistema imunológico, em que o sistema ataca, por engano, tecidos saudáveis do próprio corpo.

Essas doenças não têm causas conhecidas e são provocadas por fatores externos, como predisposição genética e o uso de alguns medicamentos. 

Seus sintomas, como fadiga, dores musculares e febre baixa, podem aparecer e desaparecer continuamente, sem causa aparente.

As doenças autoimunes são divididas em:

Doenças sistêmicas: não afetam um órgão específico, mas podem atacar vários. É o caso da doença celíaca ou da esclerose lateral amiotrófica (ELA).

Síndromes locais: atacam um tecido em particular. Podem ser de caráter dermatológico, hematológico ou endócrino. Como exemplo, podemos citar a tireoidite de Hashimoto ou a colite ulcerosa.

Como é feito o diagnóstico das doenças autoimunes?

O diagnóstico, em geral, é feito através da observação dos sinais e sintomas apresentados pela pessoa, que varia de acordo com a doença.

Também é feito por meio de exames imunológicos, moleculares e de imagem. 

Como as doenças autoimunes se manifestam?

As doenças autoimunes podem ser desencadeadas por fatores genéticos. 

Por conta da herança de certos genes, é comum que mais de uma pessoa da mesma família possa contrair uma doença autoimune, não sendo, necessariamente, a mesma doença.

O uso de alguns medicamentos, a luz solar, produtos químicos, infecções virais e bacterianas também podem desencadear doenças autoimunes. 

Quais são os sintomas das doenças autoimunes?

Os sintomas variam segundo a doença e a parte do corpo afetada. 

Algumas doenças autoimunes afetam determinados tipos de tecidos em todo o corpo, como os vasos sanguíneos, a cartilagem ou a pele.

Existem outras doenças autoimunes que afetam um determinado órgão, como rins, pulmão ou cérebro. 

A inflamação decorrente e a lesão nos tecidos podem causar dor, deformações nas articulações, fraqueza, vermelhidão na pele, dificuldade respiratória, edema, delírio e até a morte.

Como é feito o tratamento das doenças autoimunes?

O tratamento depende da doença, mas na maioria dos casos, são utilizados anti-inflamatórios e corticoides para reduzir a inflamação e a resposta autoimune do corpo.

Em alguns casos, também é necessária fisioterapia. 

5 sinais de que você pode ter uma doença autoimune

  1. Inflamações recorrentes em partes específicas do corpo, cujos sintomas vão e voltam periodicamente;
  2. Dor abdominal;
  3. Dor nas articulações;
  4. Vermelhidão;
  5. Dificuldade de equilíbrio e coordenação.

7 principais doenças autoimunes

Lúpus Eritematoso Sistêmico

O lúpus eritematoso sistêmico (LES) resulta na inflamação das articulações, olhos, rins e pele, por exemplo.

Essa doença ocorre devido a mutações genéticas que surgem durante o desenvolvimento fetal e, por isso, é normal que os sinais e sintomas do LES surjam em pacientes jovens.

Os sintomas de lúpus podem aparecer pelo uso de alguns medicamentos ou exposição ao sol. 

O principal sintoma de LES é o aparecimento de mancha vermelha no rosto em forma de borboleta, além de também poder haver dor nas articulações, cansaço excessivo e aparecimento de feridas na boca e no nariz. 

O paciente passa por períodos em que a doença apresenta os sintomas e outros em que não os têm. 

O tratamento é feito  pelo uso de anti-inflamatórios, corticoides e imunossupressores.

Esclerose múltipla

A esclerose múltipla é caracterizada pela destruição da bainha de mielina, responsável por cobrir os neurônios, causando problemas no sistema nervoso.

Os principais sintomas são fraqueza muscular, cansaço excessivo, formigamento nos braços ou pernas, dificuldade para andar, incontinência fecal ou urinária, alterações visuais e perda da memória. 

Conforme a doença progride o paciente torna-se cada vez mais dependente, o que interfere na sua qualidade de vida. 

O tratamento envolve o uso de medicamentos para evitar a evolução da doença e para promover o alívio dos sintomas, como anti-inflamatórios, imunoglobulinas e corticoides. 

O paciente também deve fazer fisioterapia para evitar e minimizar a atrofia muscular.

Diabetes tipo 1

A diabetes do tipo 1 ocorre devido ao ataque das células imunológicas às células pancreáticas responsáveis pela produção de insulina.

Assim, o corpo não reconhece a quantidade de glicose no organismo, o que faz com que cada vez mais glicose seja acumulada no sangue. 

Os principais sintomas relacionados com a diabetes do tipo 1 são a vontade frequente para urinar, sede, fome excessiva e perda de peso sem causa aparente.

O tratamento é feito com o uso de insulina e acompanhado por endocrinologista. Dessa forma, é possível manter os níveis de glicose circulante no sangue regulados.

Doença celíaca

A doença celíaca é caracterizada pela intolerância ao glúten, sendo que o organismo não produz quantidades suficientes de enzimas para degradar essa proteína.

Desta forma, ocorre a inflamação e aparecimento de lesões no intestino.

Os sintomas de doença celíaca aparecem após o consumo de alimentos que contêm glúten. São eles: vômito, emagrecimento, diarreia frequente, barriga inchada, fezes muito volumosas, pálidas e com mau cheiro. 

Para tratar a doença é recomendado evitar o consumo de alimentos que possuem glúten.

O endocrinologista ou nutricionista também pode recomendar o uso de suplementos alimentares para evitar complicações decorrentes da má absorção de nutrientes devido à inflamação e às lesões do intestino.

Artrite reumatoide

A artrite reumatoide é caracterizada pela inflamação e inchaço das articulações. 

Alguns fatores podem favorecer o desenvolvimento dessa doença, como infecção por vírus ou bactérias.

Os sintomas, em geral, são dor e inchaço nas articulações, vermelhidão, rigidez e dificuldade de movimento na região, febre, cansaço e mal-estar. 

O tratamento inclui o uso de medicamentos anti-inflamatórios e fisioterapia para tratar a amplitude dos movimentos.

A doença acomete o paciente em surtos, isto é, há fases em que ela apresenta sintomas e em outros que permanece assintomática.

Tireoidite de Hashimoto

A tireoidite de Hashimoto é caracterizada pela inflamação da tireoide, resultando em uma atividade aumentada da glândula, seguida por uma baixa atividade (hipotireoidismo).

Os sintomas relacionados com a tireoidite de Hashimoto são semelhantes aos do hipotireoidismo.

Nesta doença, o paciente sofre de cansaço excessivo, queda de cabelo, pele fria e pálida, baixa intolerância ao frio, aumento fácil do peso e dores musculares ou na articulação.

Para diagnosticar o problema, o endocrinologista solicita exames que avaliam o funcionamento da tireoide. 

O tratamento é por meio de reposição hormonal com Levotiroxina. Também é importante a ingestão de alimentos ricos em iodo, zinco e selênio.

Vitiligo

O vitiligo é uma doença caracterizada pela destruição dos melanócitos, que são as células responsáveis pela produção da melanina, substância responsável pela cor da pele.

Os sintomas são manchas brancas na pele, que aparecem com mais frequência em áreas expostas ao sol, como mãos, braços, rosto e lábios.

O tratamento é feito por dermatologista, com o uso de pomadas com corticoides ou imunossupressores, além de poder haver a necessidade de realização de fototerapia.

Plano de saúde cobre doenças autoimunes?

Isso depende. O plano de saúde cobre todos os tratamentos, medicamentos, consultas, exames, terapias e internações previstas no Rol de Procedimentos e Eventos ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar)

Caso a doença autoimune demande algum procedimento que não esteja listado no rol ANS, o plano de saúde não é obrigado a cobri-lo. 

Agora que você já conhece as principais doenças autoimunes e como elas se manifestam veja também Como cuidar da saúde mental: 6 dicas, como ela funciona, qual a cobertura do plano de saúde e explicações científicas. 

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Inscreva-se na nossa Newsletter