DST ou IST: definição, diferenças, diagnóstico e tratamento de Infecções Sexualmente Trasmissíveis

reproductive-health-supplies-coalition-m206W8HQJAQ-unsplash

As IST, infecções sexualmente transmissíveis, que anteriormente eram conhecidas por DST, como a gonorreia ou a AIDS, são originadas pela relação sexual sem preservativo, seja através do contato íntimo vaginal, anal ou oral.

As IST são causadas por vírus, bactérias e outros microorganismos. Elas afetam igualmente homens e mulheres de todas as idades.

Neste artigo nós vamos falar sobre o que são IST, quais os sintomas, características, como prevenir e como tratar as doenças. Também vamos falar se o plano de saúde cobre ou não o tratamento. 

Qual a diferença entre IST e DST? 

Infecções Sexualmente Transmíssiveis (IST) foi o nome dado pelo Ministério da Saúde em substituição a Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST). 
 
A adoção da nova expressão diz respeito à diferença entre os termos infecção e doença.
 
Infecção pode ser assintomática, isto é, a doença existe mas não apresenta sintomas ou sinais visíveis, como sífilis, herpes genital ou condiloma acumulado.
 
Já o termo doença é caracterizado por sintomas e sinais visíveis no organismo. 
 
Entretanto como algumas doenças sexualmente transmissíveis não apresentam sintomas no início ou em todo o seu ciclo, o termo infecção é mais preciso e adequado. 

O que são Infecções Sexualmente Transmissíveis?

As Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) caracterizam-se por infecções causadas por mais de 30 agentes etiológicos diferentes (bactérias, vírus, fungos e protozoários)..

Elas são transmitidas, principalmente, por meio do contato sexual (oral, vaginal, anal) sem o uso de camisinha masculina ou feminina, com uma pessoa que esteja infectada.

A transmissão de uma IST também pode ocorrer por meio da transmissão da mãe para a criança durante a gestação, o parto ou a amamentação.

De maneira menos comum, as IST também podem ser transmitidas pelo contato de mucosas ou pele com secreções corporais contaminadas.

A terminologia Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) foi adotada em substituição à expressão Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST), porque caracteriza a possibilidade de uma pessoa ter e transmitir uma infecção, mesmo sem sinais e sintomas.

Quais são os sintomas das Infecções Sexualmente Transmissíveis?

As IST podem se manifestar por meio de feridas, corrimentos ou verrugas na região dos genitais e ânus.

O paciente também pode apresentar dor pélvica, coceira nos genitais, ardência ao urinar, lesões de pele e ínguas.

As IST aparecem, principalmente, nos genitais, mas podem surgir também em outras partes do corpo, como palma das mãos, olhos e língua.

Se você apresentar quaisquer desses sintomas procure sua ginecologista (no caso das mulheres) ou urologista (no caso dos homens) para investigar possíveis IST.

Algumas IST podem não apresentar sinais e sintomas, e se não forem diagnosticadas e tratadas, podem levar a graves complicações, como infertilidade, câncer ou até morte. 

Como é feito o diagnóstico das Infecções Sexualmente Transmissíveis?

O diagnóstico é feito por exame físico realizado por médico habilitado. Em muitos casos, o profissional coleta amostra de material biológico para investigar a doença por meio de exames laboratoriais.

Mesmo que não haja sinais e sintomas, as IST podem estar presentes e ser transmissíveis. Por isso, a importância de ter relações sexuais com o uso de preservativo.

Como prevenir as Infecções Sexualmente Transmissíveis?

A melhor forma de prevenir as IST é usar preservativo, seja o masculino ou o feminino. Ele também é uma forma de evitar a gravidez indesejada.

14 principais Infecções Sexualmente Transmissíveis 

  1. Cancro mole (cancroide)

  2. Condiloma acuminado

  3. Doença Inflamatória Pélvica (DIP)

  4. Donovanose

  5. Gonorréia e infecção por clamídia

  6. Herpes genital

  7. Infecção pelo HIV

  8. Infecção pelo Papilomavírus Humano (HPV)

  9. Infecção pelo HTLV

  10. Linfogranuloma venéreo (LGV)

  11. Sífilis

  12. Uretrite Gonocócica e Não Gonocócica

  13. Tricomoníase

  14. Hepatites Virais B e C

  15. Candidíase

Principais Infecções Sexualmente Transmissíveis sem cura e quais são os seus tratamentos

AIDS

É a doença causada pela infecção do Vírus HIV (Imunodeficiência Humana) que ataca o sistema imunológico, responsável por defender o organismo de doenças. 

A AIDS não tem cura e é dividida em três fases: infecção aguda, assintomática e fase sintomática. 

Os sintomas iniciais são muito parecidos com os de uma gripe, como febre e mal-estar. A última fase é caracterizada por diarreia, suores noturnos e emagrecimento.

O tratamento é feito com medicamentos antirretrovirais, como Zidovudina ou Lamivudina, que são fornecidos gratuitamente pelo SUS. Estes medicamentos combatem o vírus e fortalecem o sistema imune, mas não curam a doença.

HPV – Verrugas genitais

Esta infecção é causada pelo vírus do papiloma humano (HPV), que leva ao crescimento de lesões na pele dos órgãos genitais de homens ou mulheres.

As lesões podem ter textura suave ou rugosa, não causam dor, mas são contagiosas.

A doença não tem cura, pois o vírus do HPV permanece adormecido no corpo.

O tratamento é com a aplicação de pomadas como Aldara ou Wartec. As lesões podem surgir devido ao consumo excessivo de álcool, cansaço elevado e estresse, por exemplo.

Herpes genital

O herpes genital é um vírus que provoca pequenas bolinhas vermelhas na pele muito próximas umas das outras, que causa coceira e incômodo na região afetada, como coxas, ânus e genital.

A transmissão ocorre por meio do contato direto com a pele ou secreções de uma pessoa infectada, por meio do beijo, das relações sexuais, do atrito e até mesmo do compartilhamento de objetos de uso pessoal.

O tratamento é feito com medicamentos como Aciclovir, Valaciclovir ou Famciclovir.

A infecção não tem cura e os sintomas podem demorar até 20 dias a desaparecer.

Caso eu tenha sintomas devo avisar meu parceiro?

Sim, caso você apresente um sintoma ou receba o diagnóstico de uma IST é importante que o seu parceiro sexual saiba da informação.

 Isso porque ele pode ter sido o portador da IST ou tê-la contraído durante a relação sexual de vocês. 

Os dois sendo tratados evitam o agravamento da doença e sintomas e a transmissão para outras pessoas.

Como tratar uma IST?

Isso depende da infecção. Cada IST tem um tipo de tratamento e só o profissional de saúde poderá avaliar a fazer essa indicação corretamente. 

Em geral, elas são tratadas com o uso de medicamentos por via oral ou tópicos, como pomadas e cremes na região afetada. 

É importante seguir o tratamento pelo tempo determinado pelo médico, mesmo que os sintomas desapareçam antes do término indicado. 

A não ausência de sintomas não significa que a IST já foi sanada. 

Se eu não tratar uma IST o que pode acontecer?

Quando não tratadas adequadamente, as IST podem causar sérias complicações, além do risco de pegar outras IST, inclusive o vírus da AIDS. Essas complicações podem ser:

  • Esterilidade no homem e na mulher;

  • Inflamação nos órgãos genitais do homem, podendo causar impotência;

  • Inflamação no útero, nas trompas e ovários da mulher, podendo complicar para uma infecção em todo o corpo, o que pode causar a morte;

  • Mais chances de ter câncer no colo do útero e no pênis;

  • Nascimento do bebê antes do tempo, com problemas de saúde, ou até mesmo durante a gestação.

Infecções Sexualmente Transmissíveis são atendidas pelo SUS?

Sim, o SUS (Sistema Único de Saúde) realiza atendimento, diagnóstico e tratamento gratuito para IST.

Além disso, o preservativo masculino ou feminino pode ser retirado gratuitamente nas unidades de saúde.

Plano de saúde cobre IST?

Sim, as IST fazem parte do rol de procedimentos e eventos ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar).

Desta forma, os planos de saúde oferecem cobertura para a maior parte dos exames e tratamentos recomendados para essas infecções. 

Agora que você já sabe da importância de usar o preservativo para se proteger contra as IST veja também Doenças Autoimunes: o que são,  como funcionam, diagnóstico e tratamento.  

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Inscreva-se na nossa Newsletter