Plano de saúde: confira o guia definitivo sobre o assunto

plano de saúde

No Brasil, a falta de acesso ao plano de saúde faz com que milhares de pessoas pereçam anualmente por falta de um acompanhamento médico regular. A alta demanda, as filas, a má remuneração dos profissionais de saúde e as estruturas técnicas precárias, por exemplo. Estão entre alguns dos fatores que comprometem o bom funcionamento da saúde pública e comprometem diretamente a população. O que torna comum diagnósticos tardios e mortes por demora no atendimento, além de todo o estresse causado.

Os planos de saúde surgem na iniciativa privada com o objetivo de oferecer pacotes de serviços em saúde, dos mais básicos e essenciais até os mais completos, contemplando assim diferentes tipos de público, com foco principal na medicina preventiva e maior qualidade de vida. 

Ter acesso a um plano de saúde é um investimento indispensável na vida de qualquer pessoa. Afinal, este serviço garante uma melhor qualidade de vida e um envelhecer com maior segurança para todos os seus beneficiários. 

No nosso guia completo você encontrará um conteúdo que responderá de A a Z, os principais aspectos e dúvidas do plano de saúde, quais são os tipos, as regras, características e muito mais.

Plano de saúde: o que é?

O plano de saúde é uma assistência médica vinculada a uma operadora de saúde que oferece a cobertura de um rol de procedimentos ao contratante por um valor fixo mensal. Assim, de acordo com o tipo de plano contratado, o usuário tem acesso a um leque de atendimentos e serviços médicos para a cobertura escolhida. 

O plano de saúde pode ser contratado de forma individual, em grupo ou como benefício oferecido por uma empresa aos seus colaboradores. Para contratar um plano de saúde é preciso realizar uma cotação com a operadora de saúde por meio de um corretor. Esse profissional irá compreender qual o melhor produto para corresponder às necessidades e o valor disponível para investimento do contratante. 

Plano de saúde é caro?

 

A resposta correta para esta pergunta é: depende. O fato é que o plano de saúde não precisa ser tão caro quanto você imagina. 

Uma forma dele não sair caro, é não deixar para contratá-lo após um evento de saúde, como a descoberta de uma doença crônica ou oncológica. Quanto antes você realiza a sua contratação, mais você consegue cuidar da sua saúde e prevenir o surgimento de novas doenças. 

Existem alguns corretores e consultorias especializadas em saúde que atuam com diversas operadoras e conhecem todos os trâmites da área. Assim, esses profissionais são grandes aliados na hora de encontrar e gerir o plano de saúde ideal para você, sua família ou empresa.

 

O serviço de cotação de planos de saúde é gratuito. A cotação é importante, pois o valor final do investimento irá variar de acordo com inúmeras variáveis como o número de beneficiários, a idade deles, se possuem doenças preexistentes e o tipo de cobertura pretendida. O suporte de uma consultoria agiliza o processo de cotação com as operadoras disponíveis no mercado e oferece uma negociação e análise contratual mais assertivas com a necessidade e o caixa do solicitante. 

O importante é que existem planos de saúde para todos os bolsos que oferecem uma cobertura básica para atendimentos preventivos que são essenciais no combate e agravamento das principais doenças que acometem a população mundial. 

 

Anualmente, o valor do plano de saúde pode sofrer reajuste. No caso dos planos de saúde individuais, os reajustes ocorrem nas transições das faixas etárias estipuladas pela Agência Nacional de Saúde (ANS). Logo, quanto mais avançada for a idade dos associados ao plano, maior será o valor final da mensalidade. 

No caso dos planos de saúde empresariais ou em grupo, o reajuste é anual e pode, inclusive, retroceder o custo final, de acordo com a sinistralidade. Uma métrica que avalia o uso e os riscos pelos afiliados. Por exemplo, colaboradores que realizam repetidas vezes os mesmos exames ou vão a inúmeros médicos diferentes de uma mesma especialidade tendem a comprometer o custo do plano de saúde empresarial, provocando a alta no reajuste.

Benefícios do plano de saúde

Os benefícios do plano de saúde se iniciam na maior sensação de segurança e em saber que pode contar com uma assistência médica especializada. Ambos respaldados pelo acesso a uma estrutura com uma rede de hospitais e laboratórios particulares que ofertam um atendimento mais ágil, seguro e de maior qualidade. Isto por si só, já é capaz de proporcionar a qualquer um o mais tranquilo dos sonos. 

Sabemos que quando se trata de saúde, tempo e acesso fazem toda a diferença para salvar uma vida. Os planos de saúde são essenciais nesses momentos, pois cooperam com a medicina preventiva e oferecem maior qualidade de vida ao beneficiário. Sendo presentes em todas as ocasiões, da prevenção ao diagnóstico, e do tratamento ao prognóstico.

 

O plano de saúde é um investimento para o futuro, se você comparar o custo anual de todos os serviços com o gasto total que teria com eles no particular, se assustará com a diferença. O custo para realizar um check up completo no particular pode superar facilmente meses do convênio médico. A economia é ainda maior se comparado com o custo particular de procedimentos cirúrgicos ou tratamentos oncológicos, por exemplo.

 

Então, por que contratar um plano de saúde?

 

  • Maior qualidade de vida
  • Acesso a uma rede ampla de hospitais e laboratórios particulares
  • Atendimento mais ágil e humanizado
  • Maior assertividade no diagnóstico e acompanhamento da sua saúde
  • Teleatendimento (primeiro atendimento virtual com um plantonista e possível acompanhamento com algumas especialidades)*
  • Rede credenciada em todo o país para atendimento ambulatorial, urgência e emergência*
  • Estrutura mais moderna e tecnológica
  • Capacidade de escolher e definir qual o médico da sua preferência entre a rede credenciada ao seu plano
  • Economia a longo prazo
  • Menor risco de desenvolver quadros graves de doenças, uma vez que a medicina preventiva possibilita o diagnóstico e o tratamento precoce

* A cobertura desses serviços dependerá do plano contratado.

Quais são os tipos de plano de saúde?

Compreender quais os tipos de planos de saúde disponíveis no mercado é essencial na hora de entender qual faz sentido para corresponder às suas expectativas. 

 

Como os cuidados com a saúde diferem de acordo com o contexto do beneficiário, o tipo de plano de saúde também irá variar para se adaptar às necessidades de cada cenário. Isto é, existem planos de saúde com características e regulamentações diferentes para se adequar a cada tipo de beneficiário.

 

Em primeiro lugar, é necessário entender qual o seu ponto de partida na hora de buscar por um: trata-se de uma pessoa física ou jurídica? O beneficiário será apenas você? É para a sua família, um grupo de amigos, o seu pet ou a sua empresa? Abaixo você confere os diferentes tipos de planos de saúde, confira.

 

Plano de saúde individual

 

O plano de saúde individual é destinado para apenas um beneficiário, podendo este ser o contratante ou não. A contratação pode ser realizada tanto por pessoa física quanto por pessoa jurídica diretamente com a operadora de seguros.

 

Por se tratar de um plano individual é possível adequá-lo ao perfil e grupo demográfico de cada cliente. Ou seja, se este for um idoso, é possível contratar um plano de saúde sênior que ofereça atendimento geriátrico e que corresponda às necessidades dele.

 

Plano de saúde empresarial

O plano de saúde empresarial é um benefício de saúde comum e quase padrão, oferecido entre as empresas aos seus colaboradores, e é responsável por influenciar na produtividade, qualidade de vida e na retenção dos funcionários. É extremamente comum que este benefício e a sua cobertura impactem na decisão de um colaborador em migrar ou não para outra empresa. 

 

Qualquer corporação que tenha a partir de duas vidas pode contratar este benefício apenas por meio da pessoa jurídica. A cotação irá avaliar variáveis como o corpo de funcionários e a idade deles.

 

O padrão mercadológico mais comum é que a empresa arque com a maior parcela da mensalidade ou a sua totalidade, enquanto o colaborador contribui com uma pequena taxa. Entretanto, caso o funcionário opte por incluir dependentes, o valor de sua contribuição aumenta de acordo com o perfil destes. Por regulamentação, quem pode ser dependente do plano de saúde são apenas os cônjuges e filhos. 

A carência do plano de saúde empresarial é de 30 dias corridos após a contratação do benefício ou para empresas com número inferior a 30 beneficiários. O período de carência não precisa ser seguido por funcionários que tenham ingressado na corporação a partir do segundo mês de contrato do plano de saúde empresarial.

Plano de Saúde Familiar

A modalidade do plano de saúde familiar permite a contratação dele para quantos membros forem necessários, entretanto, é preciso comprovar o grau de parentesco com todos os integrantes. 

 

O plano de saúde familiar é válido tanto para casais heterossexuais quanto homossexuais. Contudo, o plano de saúde familiar exige que o casal contratante comprove a sua união. A exigência é válida para qualquer tipo de casal e os documentos aceitos são:

 

  • Certidão de Nascimento (caso tenham filhos naturais ou adotados);
  • Certidão de Casamento;
  • Comprovante de União Estável

Plano de saúde infantil

O plano de saúde para crianças é indispensável para assegurar o crescimento saudável dos pequenos. Indispensável pois permite que eles brinquem e se desenvolvam cognitivamente, sem vivenciar desde cedo traumas relacionados ao estresse da saúde pública. Especialmente, em casos de crianças que apresentam algum tipo de debilitação e requerem um acompanhamento constante ou tratamentos mais delicados. 

Crescer com qualidade de vida e os melhores cuidados faz toda a diferença, inclusive, quando nossos filhos não apresentam uma saúde frágil. Afinal, os pequenos são imprevisíveis, basta nos virarmos um instante para que sua espontaneidade ocasione um acidente. 

O plano de saúde infantil permite que os pais durmam mais tranquilos e que acompanhem o desenvolvimento da saúde e imunidade dos pequenos com a atenção necessária. Sabemos que desde o nascimento, as crianças precisam realizar inúmeros exames, consultas, testes e vacinas. Por isso, ter a segurança de um convênio médico infantil e ainda poder eleger um médico pediatra de sua preferência entre a rede credenciada para cuidar de quem mais amamos não tem preço!

Plano de saúde idoso

O plano de saúde para idoso é uma modalidade de assistência médica pensada para proporcionar um envelhecer tranquilo e com maior qualidade de vida para pessoas da terceira idade. O plano de saúde sênior se destina a pessoas com mais de 59 anos. Além disso, a partir dessa faixa etária existem subdivisões que contemplam cada fase da velhice e que influenciam diretamente no custo da assistência.

Embora essa categoria de convênio médico para idosos tenha o custo mais alto é possível encontrar planos com valores abaixo da média, especialmente se o idoso não tiver nenhuma doença preexistente. Há ainda as denominadas tabelas sênior que podem oferecer até 30% de desconto se comparado a tabela padrão, além das operadoras de saúde especializadas que atendem apenas ao público sênior.

Plano de saúde com coparticipação

O plano de saúde com coparticipação é mais barato que o convencional, uma vez que o contratante divide com a operadora as despesas sempre que realizar algum dos procedimentos ou exames previstos em contrato. Esse valor costuma ser quitado posteriormente à efetuação do serviço. 

Ou seja, o beneficiário assumirá uma mensalidade de acordo com as características acordadas, esse valor varia de uma operadora para outra, podendo ser uma porcentagem ou um valor fixo. Entretanto, a cobrança sempre deve estar de acordo com as normas da ANS.

Plano de saúde para pets

O plano de saúde veterinário é uma modalidade à parte das convencionais, mas que funciona com a mesma logística. Existem diferentes tipos de planos de saúde para animais, dos mais básicos, que cobrem a assistência preventiva e ambulatorial, até os mais completos que cobrem cirurgias, internações e que dão suporte para situações de emergência.

A principal vantagem de ter um plano de saúde para cachorro ou gato é o prolongamento da qualidade e expectativa de vida dos nossos companheiros de quatro patas. Além do suporte ao longo da vida do animal e a economia a longo prazo, já que o tratamento particular para eventuais acidentes ou tumores podem ser tão caros quanto o de um ser humano.

5 perguntas sobre plano de saúde respondidas

Não são poucas as dúvidas acerca dos planos de saúde. Todas as operadoras precisam seguir as regulamentações estipuladas pela Agência Nacional de Saúde (ANS), responsável por monitorar e assegurar o cumprimento das responsabilidades cabíveis à operadora.

Entre termos técnicos e especificidades, qualquer indivíduo torna-se leigo e a necessidade de redobrar a atenção se faz presente, por isso, a seguir você confere a resposta para as dúvidas mais recorrentes sobre os planos de saúde. 

O que é carência de plano de saúde? 

A carência do plano de saúde se refere ao tempo que o associado precisa aguardar para utilizar determinado benefício da assistência. O tempo de carência dos planos de saúde corresponde ao percentual simbólico do serviço que o usuário deseja utilizar. 

O período máximo da carência é definido pela Agência Nacional de Saúde (ANS): ele existe para equilibrar os custos com a saúde suplementar entre as partes. Entretanto, ele não é obrigatório e ainda pode variar de acordo com o tipo de plano contratado, desde que não ultrapasse o tempo máximo estabelecido pela ANS. Logo, para a carência existir precisa estar prevista por uma cláusula contratual. 

O usuário tem ainda a possibilidade de suspender a carência total ou parcialmente, mediante um valor pré estabelecido. Essa medida é conhecida como agravo e o contratante deve negociar diretamente com a operadora.

O prazo máximo de carência definido pela ANS são os seguintes:

  • Situações de urgência e emergência: carência de 24 horas após a contratação do plano. São considerados urgentes os acidentes pessoais e as complicações durante a gravidez. Já os casos considerados de emergência são aqueles que implicam em risco de vida para o paciente ou que possam provocar danos irreparáveis.
  • Internações, exames e cirurgias: carência de até 180 dias.

Consultas: carência de até 180 dias.

Plano de saúde cobre vacina?

Sim, o plano de saúde pode cobrir a aplicação de vacinas. Entretanto, como a própria ANS prevê, a imunização da população por vacina não é uma responsabilidade do sistema privado de saúde ou da saúde suplementar, nesse caso, as assistências médicas. 

Embora a distribuição e aplicação de vacinas no Brasil fique sob a responsabilidade do Sistema Único de Saúde (SUS), existem algumas vacinas que as operadoras são obrigadas a disponibilizarem a todos os seus usuários.Vacinas contra a dengue e a Onco BCG, por exemplo, são obrigatórias em coberturas de planos de saúde, segundo a Lei 9.656/98.

A opção de ofertar a imunização das demais vacinas fica facultativo a cada operadora que pode definir quais deseja oferecer e sob quais condições. Em função da demanda, é mais recorrente encontrar pelas operadoras as principais vacinas exigidas para a entrada de estrangeiros em alguns países. Por isso, se você pretende viajar, é importante verificar se o seu país de destino exige o Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia (CIVP). Você pode conferir essa relação detalhada no site da ANVISA. 

Atualmente, embora haja demanda, não há vacinação da COVID-19 por meio da rede privada ou dos convênios médicos. Isto ocorre, pois a pandemia do Coronavírus se trata de um quadro de calamidade pública, na qual a vacinação deve igualmente ser aplicada em toda a população, sem beneficiar grupos específicos. Até mesmo porque a segurança e imunização de todos depende da vacina massiva de todo o país. 

Como funciona a sinistralidade do plano de saúde? 

A sinistralidade é uma métrica exclusiva do plano de saúde empresarial que avalia o uso da assistência durante o período de 12 meses e que precisa ser analisada anualmente. O objetivo é compreender o quanto o uso do convênio extrapola o valor pago pela empresa a fim de estabelecer um reajuste assertivo e coeso. 

O alto índice de sinistralidade no plano de saúde ocorre quando os colaboradores de uma empresa usam a assistência médica de forma indevida, ou seja, vão a diferentes médicos de uma mesma especialidade e refazem exames antes do tempo previsto. Entretanto, outros fatores também interferem nessa métrica, como quando os colaboradores mudam de subcategoria na faixa etária pré estabelecida pela ANS, desenvolvem doenças graves e precisam se submeter a cirurgias.

Esse índice evidencia muito sobre a saúde do corpo de uma empresa, para reduzir a alta sinistralidade da empresa é importante começar por ações básicas. Busque iniciar com a educação dos colaboradores sobre o uso consciente do convênio e estimular que priorizem os cuidados preventivos da saúde. Criar programas internos e contar como uma consultoria em benefícios de saúde também são alternativas que a longo prazo geram maior economia aos caixas da empresa.

Plano de saúde cobre cirurgia plástica?

Depende. A princípio o plano de saúde não cobre cirurgia plástica, pois trata-se de um procedimento estético. Muitas pessoas cogitam contratar planos de saúde com esta finalidade ou acreditando neste diferencial. Entretanto, não cabe aos convênios médicos cobrirem intervenções puramente estéticas. 

Em contrapartida, a ANS prevê que os planos de saúde sejam obrigados a cobrir cirurgias plásticas quando estas têm a finalidade de corrigir problemas congênitos ou adquiridos. Por exemplo, em casos de cirurgias reparadoras que visam melhorar a qualidade de vida do paciente, quando alguma questão estética interfere no funcionamento do corpo ou se trata de uma lesão ou deformidade.

Como fazer carta de cancelamento de plano de saúde?

 

Sim, você tem o direito de cancelar o plano de saúde a qualquer momento, entretanto a ANS não possui nenhuma lei contra um período mínimo de vínculo entre contratante e operadora, por isso, fique atento! A seguir iremos orientá-lo a como efetuar o cancelamento da assistência médica, caso encontre resistência por parte da operadora em realizar o cancelamento, acione a Agência Nacional de Saúde (ANS).

 

O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) orienta que o consumidor ligue para o convênio e realize a solicitação inicial, dando prosseguimento à decisão ao formalizar o pedido de cancelamento por escrito. Assim, você tem a comprovação de que o contrato foi encerrado e se blinda contra cobranças futuras indevidas.

 

Para cancelar o plano de saúde, o mais recomendado é que você se dirija até a seguradora com duas vias do pedido de cancelamento por escrito. Uma via para cada parte envolvida no contrato, ou seja, uma para você e a outra para a operadora. É imprescindível que o profissional que te atender assine a via da solicitação que voltará com você para casa. 

Alguns planos pedem que você envie o pedido pela internet. Se for esse o caso, escreva o pedido à mão e fotografe ou escaneie a carta. Em seguida, faça o upload dessa imagem no seu computador e encaminhe o pedido para a seguradora.

 

O modelo da carta que deve ser escrita à mão pode ser como o do exemplo a seguir:

 

(Cidade onde mora, data, ano)

À empresa (nome da seguradora)

“Eu (nome completo), portador do RG (número do RG), e do CPF (número do CPF), solicito o cancelamento imediato do meu plano de saúde, que está ativo no número (número do plano).

A partir do dia de hoje, fica registrado que o plano está cancelado e nenhuma cobrança nova poderá ser realizada.

Atenciosamente,

(Seu nome e telefone para contato)

Qual é o reajuste plano de saúde 2022? 

Em relatório inédito, o banco BTG Pactual prevê que o reajuste do plano de saúde individual em 2022 será de até 15%. Caso a estimativa se confirme será o maior aumento dessa modalidade, o recorde histórico de maior reajuste dos planos de saúde individuais foi em 2016 com um aumento de 13,57%. Já o reajuste dessa categoria de planos de saúde em 2021 ficou negativado em -8,19%, o que barateou os planos no ano passado.

O órgão responsável por autorizar o percentual de reajuste dos planos de saúde é a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). O BTG chegou a previsão de aumento de até 15% para este ano após análises de dados divulgados pela própria ANS e de fatores como o aumento das despesas médicas, a inflação e os ganhos de eficiência do setor.

O relatório apontou que as despesas médicas dos beneficiários de planos de saúde individuais aumentaram 21% ao longo dos três primeiros trimestres do ano passado, ou seja, de janeiro a setembro, em comparação com o mesmo período de 2020. O índice oficial, que ainda será divulgado pela ANS, deve começar a valer entre maio de 2022 e abril de 2023, no aniversário de contratação de cada plano.

Entretanto, o aumento deve impactar também os valores dos medicamentos. Segundo o Citigroup, o preço dos remédios deve aumentar 10% em 2022 seguindo a contínua alta do dólar e da desvalorização do real, já que grande parte dos insumos são importados.

Agora que você compreendeu tudo o que diz respeito ao universo do plano de saúde, que tal se aprofundar e entender aspectos únicos e essenciais que podem te ajudar na hora de escolher e gerir o seu plano de saúde empresarial?

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Inscreva-se na nossa Newsletter