Reposição Hormonal: respondemos 12 dúvidas sobre o tema

anirudh-djo3iNJpaOE-unsplash

A reposição hormonal é indicada para homens e mulheres quando os hormônios não são produzidos pelo organismo como deveriam.

Ela tem como objetivo regular algum hormônio que está abaixo do que deveria, independente do motivo ou da doença.

Um dos exemplos mais comuns para as mulheres é a menopausa, período em que o corpo reduz significativamente o estrogênio e traz diversos sintomas.

Em relação aos homens, a idade ou determinadas doenças podem afetar o nível de testosterona no organismo e trazer consequências para a saúde masculina, como perda de massa muscular, falta de libido e impotência, por exemplo. 

Nesse artigo nós vamos falar sobre o que são os hormônios, qual a sua função no organismo, o que é reposição hormonal, para que serve, quando fazer e contraindicações.

O que são os hormônios?

Hormônios são substâncias produzidas pelas glândulas endócrinas que atuam em tecidos ou órgãos específicos, ajudando a manter o seu funcionamento. 

São eles que garantem o equilíbrio do organismo, promovendo a homeostase. 

Insulina, adrenalina, serotonina, dopamina e ocitocina são exemplos de hormônios.

Qual é a importância dos hormônios para o organismo?

Os hormônios equilibram as funções biológicas do corpo. 

No corpo humano, eles são responsáveis pelo metabolismo, crescimento, sexualidade, dentre outros.

Eles são produzidos e lançados na corrente sanguínea, atuando como sinalizadores químicos e enviando mensagens para todo o organismo.

Alguns atuam bem próximo do local onde foram produzidos, outros, no entanto, percorrem longos trechos para alcançar o órgão no qual exercerá seu papel.

O que é reposição hormonal?

Reposição hormonal ou terapia hormonal é o restabelecimento dos hormônios que estão em baixa no organismo.

Eles são administrados por via oral, por adesivos, cremes ou gel aplicado sobre a pele, injeções intramusculares e, até mesmo, por via vaginal.

Os compostos devem ser aprovados por agências reguladoras de medicamentos, como a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária)

Quando a reposição hormonal é indicada?

A reposição hormonal é indicada quando há baixa de algum hormônio no corpo, que acarreta em desequilíbrio no organismo.

A baixa produção de determinados hormônios pode trazer diversos sintomas desagradáveis, como os que ocorrem com a mulher na menopausa e nos homens relacionado à testosterona, hormônio masculino.  

Para saber se você deve fazer reposição hormonal é fundamental procurar um médico que irá solicitar todos os exames necessários para checar sua saúde.

Em geral, para pessoas que estão com os hormônios funcionando normalmente não há necessidade de fazer reposição hormonal. 

Muitos médicos, inclusive, não recomendam a terapia hormonal para pessoas que estão com sua saúde em dia, uma vez que o excesso de hormônios no organismo também pode trazer problemas e sintomas indesejados. 

Como é a reposição hormonal em mulheres?

A terapia hormonal para mulheres é bastante comum durante a menopausa, que ocorre, em geral, após os 45 anos de idade.

Alguns métodos combinam os hormônios estrogênio e progesterona, enquanto outros usam somente estrogênio.

A reposição pode ser feita de diferentes maneiras, incluindo comprimidos, géis e adesivos aplicados à pele.

O objetivo da reposição é restabelecer o equilíbrio do corpo feminino, aliviando os sintomas decorrentes dessa fase da vida, em função da queda de estrogênio no organismo. 

Além disso, os benefícios da terapia hormonal se estendem para melhora da massa óssea, prevenindo a osteoporose, e dos fatores de risco cardiovascular.

Não está estabelecido por quanto tempo a terapia hormonal deve ser mantida, podendo ser mantida por anos, ou interrompida em alguns meses. 

A indicação da terapia, assim como a sua manutenção, forma de administração e encerramento devem ser feitas por médico ginecologista, endocrinologista ou clínico geral e de maneira individualizada.

A reposição hormonal não é indicada para pacientes com suspeita ou diagnóstico de doença hepática e biliar, câncer de mama, câncer de endométrio, sangramento anormal, Lúpus, doença coronária, doença trombótica e alterações na coagulação sanguínea.

12 sintomas da menopausa nas mulheres

O período da menopausa costuma ser bastante desafiador para grande parte das mulheres, porque traz sintomas desagradáveis e queda na qualidade de vida. São eles:

  1. Ondas de calor
  2. Suores noturnos
  3. Falta de libido
  4. Mudanças no humor
  5. Insônia
  6. Depressão
  7. Ressecamento vaginal e dor durante as relações sexuais
  8. Infecções urinárias de repetição
  9. Alterações no peso
  10. Fadiga e cansaço excessivo
  11. Dores musculares
  12. Perda de concentração e da memória.

A reposição hormonal promove o alívio desses sintomas, ajudando a mulher a passar por essa fase com mais tranquilidade e melhor qualidade de vida. 

Quais são os riscos da reposição hormonal nas mulheres?

A terapia hormonal aumenta o risco de trombose, acidente vascular cerebral (AVC) e câncer de mama, principalmente, em mulheres com histórico familiar dessas doenças.

Reposição hormonal engorda?

Não. O que pode ocasionar o aumento de peso da mulher engordar na menopausa é a desaceleração do metabolismo causada pela falta de hormônios durante esse período.

A reposição hormonal restabelece o equilíbrio do organismo e não influencia o aumento de peso nesta fase. 

Como é a reposição hormonal em homens?

A terapia hormonal mais comum para homens é a reposição de testosterona, hormônio masculino. 

Nos homens, a função dos testículos é afetada de maneira progressiva, com o declínio na produção de testosterona a partir dos 40 anos e impactam negativamente na qualidade de vida.

Por essa razão, o check-up de rotina com urologista, cardiologista e/ou clínico geral é fundamental nessa idade.

Por meio de exames de sangue e avaliação clínica o médico poderá indicar a terapia hormonal.

Normalmente, o paciente precisa tomar uma injeção de aplicação periódica. O medicamento também pode ser usado em forma de gel ou adesivo.

A terapia hormonal não é indicada para pacientes com suspeita ou diagnóstico de câncer de próstata, câncer de mama masculino ou pacientes que sofrem de apneia do sono.

Quais são os riscos da reposição hormonal com testosterona?

A reposição hormonal com testosterona pode aumentar  a apneia do sono, causar alteração no colesterol,  doenças cardíacas, irritabilidade, acne, queda de cabelo e lesões graves no fígado.

12 sintomas da baixa produção de testosterona nos homens

A baixa produção de testosterona pode acarretar em diversos sintomas que afetam a saúde e a qualidade de vida do homem. São eles:

  1. Impotência
  2. Incapacidade de ter uma ereção rígida
  3. Baixa libido
  4. Alterações no humor
  5. Dificuldade de concentração
  6. Irritabilidade
  7. Menor atividade intelectual
  8. Desorientação espacial
  9. Esquecimentos e problemas de memória
  10. Episódios depressivos
  11. Aumento da gordura abdominal
  12. Diminuição da massa muscular

A terapia hormonal promove o reequilíbrio do organismo, o restabelecimento das funções normais do corpo masculino e um envelhecimento mais lento e sem impactos repentinos.  

Mulheres podem fazer uso de testosterona?

Sim, alguns médicos recomendam a reposição de testosterona para mulheres com o objetivo de regular a libido e para o ganho de massa muscular.

Entretanto, se feita em excesso pode trazer aspectos masculinos ao corpo da mulher, como um aumento no crescimento de pelos em várias partes do corpo e no rosto, alteração da voz, aumento do pomo de Adão e uma musculatura exagerada, caso a mulher pratique bastante atividade física. 

Além disso, a terapia hormonal pode acarretar no aumento de colesterol e outros problemas de saúde. 

Por essa razão, deve ser feita com acompanhamento médico e por um período determinado. 

Agora que você já sabe mais sobre reposição hormonal veja também esse conteúdo que preparamos para você. Hormônios da Felicidade: o que são, como funcionam, qual o seu impacto e como produzi-los

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Inscreva-se na nossa Newsletter